Gabriela Vieira:

Natural do Rio de Janeiro, mais precisamente Araras, um vale na serra de Petrópolis. Geminiana. Botafoguense com muito orgulho, lançada no mundo com 17 anos, quando comecei minha carreira como modelo. Desde então cigana, curiosa por natureza, apaixonada por viagens, culturas diversas, línguas, culinária e até um pouco de moda...

Morei 5 anos em Milão, 2 em Paris e nos ultimos quase 6 anos, em Nova York. Atualmente de volta a minha origem e cidade do coração, Rio de Janeiro (mas sabe se lá até quando...)

 

  • Gabriela Vieira

Qual é a melhor estação do ano para visitar Nova York?


Tenho visto passagens de avião bem baratas para Nova York pro ano que vem, repito: Muito-Baratas!!

Em 12 anos de "estrada" nunca vi passagem de ida e volta por 450 dólares, com voo direto, pela Tam!! (Abril-março-maio, pode procurar!)

Claro que com a alta do dólar isso é um tanto relativo, mas aliado ao fato de que hoje em dia os vistos são mais facilmente adquiridos, acredito que estamos numa boa época para visitar a big apple.

Mas dai você se pergunta, quando?

Já fazem dois anos que estou morando direto aqui e ter as estações bem definidas é, dentre tantas, uma das coisas que me encanta nessa cidade.

Claro que eu não sou a pessoa mais feliz do mundo quando tá um frio de -10 (que dura um mês), mas, apesar de clichê, a verdade é que existe beleza e lado bom em tudo!!

Então aqui vão os prós e contras de cada uma delas:

Inverno:


Central Park abaixo de zero.


Com certeza, a estação mais dura, aquela em que você tem que pensar duas vezes antes de vir, pois o frio chega a ser insuportável, não conseguimos mesmo passar tempo fora e aproveitamos a cidade em si, muito pouco.

Mas aproveitamos tudo o que ela tem a oferecer no calor de seu aconchego, como museus, exposições, teatro e principalmente, a diversidade culinária!!

O MoMa tem uma sala exclusivamente dedicada as ninféias de Monet.


Experimente entrar no Max Brenner pra tomar "só" um chocolate quente!!


Mas se você não for muito do doce, não se preocupe, Nova York tem uma infinidade de restaurantes, todos terão sopas no menu e se não for suficiente, muitos dos melhores restaurante da cidade são italianos, executados com maestria, para ajudar a manter, digamos...aquela camada de carboidrato para esquentar o corpo!!


Risotteria na Bleecker St, com mais de 30 tipos de risotto no cardápio, inclusive sem glúten e lactose!


Apesar da decoração de Natal começar já em meados de novembro, ainda outono, o início da estação é marcada pelas lindas vitrines elaboradas, especialmente as da 5° avenida; o célebre pinheiro iluminado no Rockefeller Center, e vários rinks de patinação no gelo espalhados pela cidade; além de espetáculos como o Quebra-Nozes, Rockettes e vários mercados de Natal.




Como eu costumo dizer, frio só faz sentido quando neva! E quando digo frio, é frio mesmo, -17 não é pra qualquer um!! Mas diferente de países da europa onde morei, em que nevava raramente, aqui neva muito e muda a paisagem de um jeito mágico.

Claro que é um pequeno caos no quesito transporte e é preciso andar tomando cuidado para não escorregar, mas com a roupa (gorro-luva-casaco-cachecol-bota) adequada, não há nada como uma caminhada no parque com um cenário desses:



Primavera:


Ah, a primavera!!! Já era hora! Finalmente pessoas e animais saindo da hibernação, parece filme de catástrofe quando a tempestade passa e as pessoas finalmente saem de casa. Lembro bem de escutar o primeiro canto de passarinho lá pra março e quase chorar de felicidade. Juro!!!

Ou seja, é esse tipo de pessoas felizes que você vai encontrar pelas ruas!!

Dessas que dão até abraço em árvore!


Qualquer solzinho é motivo pra estar do lado de fora em busca de vitamina D.

Ainda não é tão quente, mas é fresquinho na medida para alugar uma bicicleta e fazer um grande passeio, seja ao redor da ilha, ou do Central Park ou ir até o The Cloisters.

É a época do tão esperado festival japonês Sakura Matsuri, que acontece no Jardim Botânico do Brooklyn, no fim de abril, celebrando a cultura japonesa e as tantas espécies de Cerejeiras (Cherry Blossom) que por lá fazem seu espetáculo todo ano.



Vale ou não vale uma passagem de avião só para ver esse algodão doce em forma de árvore??




Tem uma infinidade de tulipas também!



E nem é preciso ir aos parques para vê-las, Nova York tem dezenas delas camufladas, até que um belo dia, quando você menos espera: Boom!!

Mas como nem tudo são flores, com tanto pólen e romantismo no ar, é inevitável um leve (ou severo) caso de alergia. Se você já tiver rinite alérgica, por exemplo, considere-se mais propício a tê-la, mas nada que um allegra na bagagem não resolva!! ;-)

Também é a hora de se deliciar com o fruto da vez, as cerejas!!

Verão:


Imagem retirada do site Downtownbrooklyn.com porque não é fácil pegar uma vista privilegiada dessas!


Apesar da mudança de estação ser oficialmente no 21 de junho, o 4 de julho é o pontapé inicial do verão.

Enquanto muitos nova-iorquinos aproveitam para escapar da cidade e aproveitar suas residências de verão - leia-se Hamptons e Montauk.

(Sim, esses lugares que você ouviu falar em tantos filmes e séries existem mesmo)

É também hora de ver a lindíssima queima de fogos na ponte do Brooklyn e todo o patriotismo americano exacerbado.

É bandeira pra tudo quanto é lado:

Praia no Hamptons, cada família tem um banco com seu sobrenome!


Ossos do ofício



É quando os dias são mais longos, o pôr-do-sol - um espetáculo a parte, por sinal - chega a ser lá pras 8.30 da noite e tudo é motivo para celebrar a vida e a beleza da paisagem, seja no famoso gramdão do sheep meadown ou no Happy Hour do Boat House, ambos no Central Park.

A cidade oferece uma infinidade de atividades ao ar livre e de graça, como filmes distribuídos em vários locais e até peça de teatro de Shakespeare no parque!!


Filme no Bryant Park


Apresentação de piano no Washington Square Park

Há também várias feiras de artesanato, artigos vintages e comida (food trucks) como a Smorgasburg no Brooklyn:


Ramen Burger: é isso mesmo, invenção que deu filas e o que falar aqui, hamburger com "pão" de miojo!!

Topo do Standard Hotel em Meatpacking


Agosto aqui é o equivalente ao nosso janeiro, então é comum o êxodo de nova-iorquinos e uma grande invasão de europeus e americanos de outros estados. Por ser a época mais agradável do lado de fora, todas as atrações costumam ter filas grandes e o calor também pode ser insuportável. A umidade é muito alta e o calor é quase infernal em alguns dias, principalmente dentro das estações de metrô, então evite agosto se esse não for seu tipo de viagem!!

E aqui vai mais um brinde ao verão:


Outono:


Não é a toa que existe até um filme com o nome outono em Nova York, é a estação mais cinematográfica que existe, exala drama, melancolia e uma beleza sem igual!!!


Quando, acompanhadas por uma brisa fria, vemos uma enxurrada de Pumpkins - abóboras - invadirem a cidade, seja na decoração ou no menu dos restaurantes, padarias e cafés, é que temos certeza que a estação chegou!!



O fofíssimo café externo do Highline Hotel e o Pumpkin Cheesecake do Magnolia


Outubro é também o período da colheita das maçãs no Hudson Valley, nos arredores de Nova York. O qual é também um programa bem legal para incluir no seu roteiro!

Com elas, surgem outros quitutes marcantes da estação, como a cidra e principalmente as célebres tortas, as vezes reinventadas, como essa feita em forma de flor, pelo famoso Chef francês Dominique Ansel:


A mudança da folhagem é um capítulo a parte!! Nunca vi outono que se compare no mundo como os vários tons de amarelo, magenta e laranja misturados ao céu azul do Central Park!!!



" I'm glad I live in a world with octobers"

Montgomery.

" Fico feliz que eu viva num mundo onde existem outubros"

Dá ou não dá vontade de chorar com tanta beleza?



Observei que acontece o mesmo com o preço das peças da Broadway, são mais baixos nessa época do ano.


Se já não bastasse isso tudo, dia 31 de outubro ainda tem Halloween, que é quase um Carnaval fora de época! Só que mais assustador ainda!

Se mostrar o esqueleto, vampiro ou bruxa que existe em você não for sua praia, dá pra espiar as fantasias mega elaboradas da parade (desfile) em West Village ou passear vendo a decoração das casas/townhouses da região.

Vale ressaltar que após o Halloween - as vezes no mesmo fim de semana - o horário muda, diminuindo 1 hora. Começa a escurecer as 5 da tarde, até gradativamente chegar, pasmem, as 4.30!! Isso mesmo, é dada a largada do período depressão!!

Se você mora aqui, você esquece que há vida depois do trabalho, esquece do mundo, da academia e quer só deitar no sofá, comendo torta de maçã de preferência!


Mas de férias não será o caso, então se um dos motivos principais de sua viagem for compras, ainda tem os mega descontos da Black Friday, um dia após o Thanksgiving.

Esse feriado prolongado marca a transição do fim de outono para começo de inverno, onde todo o ciclo começa novamente.

Aqui, uma grande parcela da população não é cristã ou católica então o dia de Ação de Graças é na verdade mais importante do que o Natal, é a data em que familiares cruzam o país para se reunir em volta da mesa.

E aí, já decidiu??

#Português

  • Instagram
  • YouTube

© 2023 by NOMAD ON THE ROAD. Proudly created with Wix.com

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round