Gabriela Vieira:

Natural do Rio de Janeiro, mais precisamente Araras, um vale na serra de Petrópolis. Geminiana. Botafoguense com muito orgulho, lançada no mundo com 17 anos, quando comecei minha carreira como modelo. Desde então cigana, curiosa por natureza, apaixonada por viagens, culturas diversas, línguas, culinária e até um pouco de moda...

Morei 5 anos em Milão, 2 em Paris e nos ultimos quase 6 anos, em Nova York. Atualmente de volta a minha origem e cidade do coração, Rio de Janeiro (mas sabe se lá até quando...)

 

  • Gabriela Vieira

3 dias em Bangkok


Após dias de paz em Chiang Mai, era hora de experimentar o significado da palavra caótico na capital do país.

Bangkok é barulhenta, úmida, efervescente...e única!!


Nos hospedamos por três noites em Sukhumvit, a área mais cosmopolita, onde moram muitos estrangeiros e onde estão a maioria dos hotéis, inclusive os mais famosos e luxuosos, conhecidos por seus rooftops com happy hours e noites animadas.

Na terceira e ultima noite ficamos no centro, há 5 minutos a pé da famosa Kao San Road, uma area mais jovem/mochileira, a uma caminhada do palácio e dos principais templos, um pouco menos segura, bem barulhenta e suja também.

Duas propostas diferentes, valeu a pena experimentar as duas, mas confesso que preferi a paz velada de Sukhumvit.

Na verdade, o bom mesmo de sukhumvit é estar na linha do BTS (metrô/monorail), o que facilita o acesso a muitas áreas da cidade, evitando o transito e a negociação intensa com os motoristas de tuk-tuk.

De lá, pra chegar aos principais templos, fomos a estação Saphan Taksin, onde pegamos o barco Chao Phraya Express, que faz o percurso pelo rio parando nos principais pontos turísticos.


Quem tem boca vai a Tailândia: "Você tem boca, você pode ler, você pode perguntar. Obrigado!"



Na parada do Palácio, pegamos outro barco só para atravessar o rio, alcançando um dos templos mais fotogênicos de Bangkok que fica as suas margens.

Wat Arun:

Batizado de templo do alvorecer, o Wat Arun possui uma arquitetura bem diferenciada dos demais, e, estilo Kmer com uma torre principal de 79 metros.





Parece um mosaico gigante, decorado milimetricamente com pedaços de vidro colorido e porcelana chinesa em cada pedacinho.

É possível subir os super-íngrime-e-curtos degraus até uma certa parte.



Observe também as enorme estátuas de guerreiros chineses na entrada.




Apesar do nome, também deve ser comtemplado ao entardecer. Observar o sol se pondo e sua iluminação noturna de um dos bares/restaurantes do outro lado do rio é imperdível!!.

Wat Pho:

Também conhecido como templo do Buda Reclinado é o complexo com a maior coleção de imagens de Buda. Pegamos um dos guias credenciados na entrada do complexo pra entender um pouco mais sobre o mesmo e a cultura tailandesa.


O lindo pátio onde estão localizadas 394 imagens de Buda sentado.


Existem 91 pequenas chedis (torres) como esta no terreno do complexo, cada uma delas carrega as cinzas de uma familia importante, as maiores, de reis.


O grandioso Buda dourado de 46 metros de comprimento.





O grandioso pé da estatua, contendo manuscritos, infelizmente estava em projeto de conservação.

Logo ao lado estão dispostos 108 potes de ferro onde devem ser despejadas moedas em ordem para adquirir boa sorte.


O templo também abriga uma escola de medicina tailandesa, considerada a primeira universidade pública do país, conhecida como o berço da massagem tailandesa, a qual é ensinada e praticada num dos prédios do complexo.

Observe as paredes onde estão desenhos do corpo humano, feito por monges há muitos anos afim de passar conhecimento, e não saia de lá sem fazer uma massagem!!!

As vezes a fila é grande, mas vale a pena!



No dia seguinte, logo cedo pegamos o BTS e fomos a casa de Jim Thompson:






Jim Thompson foi um homem de negócios/ex-arquiteto/ex-militar americano que revitalizou a industria têxtil da seda na tailândia. Viveu por 22 anos em Bangkok até desaparecer na Malasia num estranho e até hoje inexplicável mistério.

Durante esses anos ele construiu uma casa de madeira a beira de um canal, com estruturas de madeira trazidas de várias partes do país pelos rios. Também era colecionador de antiguidades e o museu/casa é repleto de peças trazidas de toda ásia.

Jim, era uma figura excêntrica, uma visita aos cômodos da casa é uma interessante volta no tempo. Observe o piso no primeiro andar, de mármore trazido da Italia, com peças pretas e brancas para serem "pisadas" no inverno e no verão, respectivamente.

O complexo conta com um lindo jardim e uma loja de artigos de seda, a casa só pode ser visitada em visitas guiadas e fotos do interior não são permitidas.

De lá pegamos o barco de transporte público (leia-se confuso mas uma grande aventura por entre os canais da verdadeira bangkok, não aquela para turistas) afim de chegar ao palácio. Descemos em Phanfa Bridge e de lá pegariamos um tuk-tuk rapido pra não andar no sol (quente!). Para nossa surpresa o motorista disse que o Palacio estava fechado pois era feriado budista! Muito desolados e já desesperançosos, estávamos quase embarcando no tuk-tuk do mesmo pra conhecer templos abertos nos arredores, quando um casal de turistas veio por trás e nos disse que era um scam, o palácio estava aberto sim e só queriam tirar dinheiro da gente!!!!

Depois, lendo sobre o assunto, vi que esse papinho é o golpe mais comum da capital!!

Fique ligado!!!

The Grand Palace:


A beira do Rio esta localizado outro dos monumentos mais famosos do país, contendo edifícios espetaculares e locais sagrados. (Se você tiver somente um dia em Bangkok é aqui que deve vir).

O palácio foi residência oficial de reis e sua corte ate inicio do século 20, além de centro do governo.

Apesar de hoje em dia ser usado somente para cerimônias oficias e banquetes reais, infelizmente o pedaço da residência não é aberto ao publico e a visita aos tronos fica fechada nos fins de semana.

Na entrada estão os prédios onde funcionavam departamentos do governo, administração civil, militar e do tesouro. (Acredite se quiser, o lindo prédio abaixo é "somente" uma biblioteca.)









Réplica de Angkor Wat (o mais importante templo do Cambodia), provavelmente presente para demonstrar domínio do reino sob Cambodia numa época em que a França tentava dominá-la.

O Wat Phra Kaew (templo do Buda de Esmeralda) é o local mais sagrado e luxuoso a que temos acesso.

Ao ver o esquema de segurança imagina-se um enorme Buda verde. Na verdade ele é pequenino (66 cm), mas é grandioso o fato de que foi lapidado em uma única pedra de Jade (sim, esmeralda é como chamam a cor verde, não necessariamente a pedra preciosa.)

A imagem, altamente reverenciada e venerada é considerada o protetor do país e só pode ser tocada pelo rei (ou príncipe, na sua ausência).

Fotos não são permitidas no interior do templo.



Após os templos e prédios administrativos, entramos no jardim da antiga residência real:






* Fique atento ao Dress Code Rigoroso:

Homens devem usar calças longas e camisetas de manga, mulheres não entram usando algo transparente ou decotado. (Eu estava de vestido longo sem manga e amarrei uma echarpe nos ombros, nem assim. Fui obrigada a comprar uma blusa de manga na lojinha ao lado a fim de entrar no complexo).


A uns 10 minutos de caminhada do Palacio está o Mercado dos Amuletos, onde é praticada a tradição milenar de compras de medalhinhas, que podem ser adquiridas por 5 ou até 5 milhões de bahts, dependendo do seu propósito.

Cada uma tem um específico tipo de sorte, que pode ser por exemplo: a aprovação em exames, conseguir a mulher dos sonhos, acabar com a praga na plantação de arroz etc..

Os tailandeses são muito superticiosos e a venda é levada a sério por colecionadores, monges, motoristas de taxi, que se aglomeram pelas ruelas das barracas, analisando com uma lupa cada amuleto.



Também são comercializadas esculturas religiosas como imagens de Buda.

Vale a pena ressaltar que em respeito ao budismo, Buda não deve ser usado como objeto de decoração.

Saindo de lá fomos conferir a vista do Sky Bar, rooftop que apareceu no filme Hangover, sendo famoso pela vista 360 graus do 63º andar. Infelizmente, ainda faltava uma hora para que ele abrisse as 6 da tarde mas mesmo assim subimos no elevador e demos uma olhadela rapidinho antes que nos mandassem embora!

A maioria dos rooftops badalados da capital fica no topo de hotéis internacionalmente reconhecidos. Mais tarde fomos ao Rooftop do Hotel Marriot, chamado Octave.




Bebericando nosso drink refrescante, com vista pra cidade acesa abaixo de nós, ao fim de um longo dia - quente - de visitas a pontos turísticos entendi o porque desse ritual ser tão famoso na capital. Deu vontade de ter ido em vários outros como o Above 11.


No dia seguinte logo cedo, fomos ao mercado flutuante Damnoen Saduak, que fica aproximadamente a 1hr e meia de Bangkok de carro.

Já sabia que este era o maior e mais visitado mercado da tailandia e, consequentemente, o mais turistico, porém é o único que fica aberto durante os dias de semana. Então chegamos la as 8.30 da manha a fim de não pega-lo tão cheio.

(Ps: Se você tiver a sorte de ter planejado seus dias na capital durante o fim de semana, vá ao Talim Chan)

Os mercados flutuantes são bem tradicionais no país, agricultores ainda remam seus produtos em canoas de madeira das áreas fora da cidade ao longo dos antigos canais para os mercados lotados. Quitutes são preparados nos barcos em fogareiros e panelas adaptadas.

É um programa aproveitado pelas famílias nos fins de semana.



Existem muitas barracas de souvenir made in China, o que diminui um pouco o charme do lugar.

O intuito aqui é ir para comer! Tudo depende do que o seu estômago esta acostumado a receber as 9 da manha, mas tem de tudo, sopas, noodles, camarão grelhado, frutas tropicais e etc.

Meu preferidos foram a banana-ouro grelhada, a manga com arroz de côco e a panqueca.




Não vá embora do mercado antes de achar essa senhorinha!! A panquequinha dela é, disparado, o melhor quitute do local!!




Após ser constantemente implorada por 1 hora a comprar lembrancinhas feias das barracas de souvenir, ter comido tudo o que gostaria, é hora de admitir que o local é uma boa pegadinha turística na qual você também caiu e voltar a Bangkok!!


No mesmo dia a noite, ainda fomos ao mercado Chatuchak, o qual também só fica aberto por inteiro nos finais de semana. Mas ainda deu pra dar uma olhada e comprar umas lembrancinhas legais numa quinta a tardinha.

O local é gigante! Provavelmente, o que você imaginar, você encontrará aqui: roupas, souvenirs, artesanato, quadros, livros, objetos em cerâmica, flores, acessórios para animais de estimação ou até uma cobra python!! Ui!!

Por sorte, cada departamento é dividido e numerado em seções, procure se orientar pelo mapa assim que chegar. São 27 seções e mais de 15,000 barraquinhas/vendedores!!

O acesso é fácil, fica logo ao lado da estação Mo Chit de BTS, difícil é se achar por la!

O horério de abertura oficial é aos sabados e domingo das 6 as 18, quartas e o quintas a seção de plantas e flores fica aberta, e as sextas as vendas são pro atacado.




No quesito restaurantes, é difícil dar sugestões numa cidade em que cada esquina tem uma barraquinha de comida, um restaurante baratinho que tem o um pad thai ou curry maravilhoso.

Mas se você estiver afim de "ostentar", o restaurante Indiano Gaggan - que está em 23º lugar da lista dos 50 melhores restaurantes do mundo e em 1º na Asia - oferece o seu menu degustação (com mais de 23 quitutes - pequenas porções de comer com o olhos e ajoelhado) por aproximadamente 100 dólares.

Sim, soa caro convertendo para reais, mas pense comigo: quando você pagaria "só isso" num dos melhores restaurantes do mundo num país ocidental?!




Se já meio cansado das comidas de rua, a procura for por um lugar mais em conta e ainda de culinaria tailandesa, a dica é o Soul Food em Sukhumvit:


E se a vontade for de sobremesa, porque não um lugar especializado em...tchachararan: manga!!!

Madurinha, docinha, delícia!!!



Combo especial: Sorvete de manga, pudim de manga, arroz doce de côco e...manga!!



Com uma decoração muito fofa em madeira a manga, fica logo ao lado do Siam Paragon, shopping gigante, que vale uma passada pra quem quiser fazer umas compras no fresquinho do ar condicionado!!!

#Português

  • Instagram
  • YouTube

© 2023 by NOMAD ON THE ROAD. Proudly created with Wix.com

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round