Gabriela Vieira:

Natural do Rio de Janeiro, mais precisamente Araras, um vale na serra de Petrópolis. Geminiana. Botafoguense com muito orgulho, lançada no mundo com 17 anos, quando comecei minha carreira como modelo. Desde então cigana, curiosa por natureza, apaixonada por viagens, culturas diversas, línguas, culinária e até um pouco de moda...

Morei 5 anos em Milão, 2 em Paris e nos ultimos quase 6 anos, em Nova York. Atualmente de volta a minha origem e cidade do coração, Rio de Janeiro (mas sabe se lá até quando...)

 

  • Gabriela Vieira

Japão (4) Outono em Kyoto - Arashyama

Sobre:

Arashyama é um distrito localizado nos subúrbios a noroeste de Kyoto, facilmente acessada pelos trens da cidade. Além dos templos, é famosa pelo belo rio que corre ao lado das colinas e uma floresta de bambu.

Itinerário:

Após 3 dias de programação por Kyoto, assim ficou nosso roteiro de um dia por Arashyama, priorizando os pontos principais

Afim de evitar as as grandes concentrações de visitantes trazidas por ônibus de turismo, começamos as 8hrs percorrendo a pequena floresta de Bambu.

De lá, seguimos no sentido do templo Adashino Nenbutsuji, onde literalmente me emocionei com a beleza das cores de outono! Que sorte! Que espetáculo da natureza!

Este templo, datado do inicio do seculo 9º é famoso pelas centenas de estatuas de pedras feitas por um monge afim de homenagear as almas de mortos.

Há 10 minutos de caminhada dali, chegamos ao templo de nome parecido, Otagi Nenbutsu-ji, também famoso pelas estatuas de pedra, mas dessa vez com um sentido bem menos "mórbido" e muito mais divertidas.

Esculpidas nos anos 80 e 90, as estatuas de rakan, devotos do budismo, cobertas de musgo, demonstram expressões faciais agradáveis e espirituosas.

Impossível não se divertir com elas!

Voltando pela rua principal, percorremos pedaços da rua Saga Tariimoto, admirando a belezas e arquitetura das casas e das lojas. Especialmente as lojas de cerâmica japonesa! Ainda achamos um ambulante vendendo persimon (caquis) secos. Que delícia!!!

No percurso, visitamos o pequeno templo Gioji, chamado templo do musgo, isso mesmo, que se destaca muito bem cuidado em meio as altas arvores de maple.

A seguir, chegamos na Villa de montanha do ator Okochi Sanso, com visitação aberta aos jardins e com direito a Matcha de boas-vindas incluído no ingresso. No topo, ainda há um pavilhão para meditação com uma vista linda.



Saindo da Villa e atravessando o parque Kameyama, passeamos pela lindíssima margem do rio Katsura.







Acredite se quiser, percorremos isso tudo antes do meio-dia e então nos dirigimos ao templo Tenryu – ji, onde é possível almoçar como um monge japonês, degustando um rico menu vegetariano. A bandeja no estilo bento é servida numa sala de tatame no chão.

De preferência, reservado com antecedência: http://www.tenryuji.com/en/shigetsu/

Depois do banquete (em pequenas porções), visitamos por fora o terreno do Templo Tenri-iuji, o mais importante de Arashyama, construído nos anos 1300's, com um jardim remodelado, desenhado por um famoso paisagista japonês.




Passeamos pela rua principal de Arashyama, onde ficam restaurantes e lojinhas, no sentido da ponte Togetsukyo, parando pra estocar Matcha (no corpo e) pra viagem.






Atravessando para a outra margem do rio, chegamos ao Arashyama Monkey Park, onde no fim de 10 min de trilha subindo a montanha, atingimos um mirante onde uma população de macacos vive livremente.

Viajando de forma mais responsável e consciente, eu não visito mais atrações que "exploram" animais, mas meu companheiro na época tem fascinação por macacos então cedi ao saber que esse parque é o território original deles, onde eles vivem livremente. De fato, há uma gaiola onde os humanos são os que ficam do lado de dentro, enquanto os animais ficam livres pro lado de fora da grade.





Finalizando o dia, dica de comida ocidental, num ambiente descolado e com um toque japonês de excelência: carne de Wagyu e pão preto, feito com carvão de bambu.


Cross Burger Beer and Coffee

# 48 Arashiyama Kamikaidocho, Nishikyo Ward, Kyoto, 616-0016, Japan








E assim, encerramos nossa viagem por Kyoto. Gostaria de dizer que pesquisei BASTANTE e tentei priorizar os locais ou templos mais importantes (ou diferentes) afim de que a viagem não ficasse muito "enjoativa" e cansativa. Como Kyoto é muito visitada no outono, foi essencial acordar cedo para chegar nos lugares mais famosos e possivelmente cheios logo no início do dia.


No manhã seguinte nos despedimos da beleza idílica e inesquecível de Kyoto rumo ao mundo moderno das ilhas Naoshima e Teoshima.

  • Instagram
  • YouTube

© 2023 by NOMAD ON THE ROAD. Proudly created with Wix.com

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round